Menu Principal

Menu Downloads

Realização e Apoio
Realização:

Páginas Personalizadas: assembleia.jpg


Páginas Personalizadas: escola.jpg


Páginas Personalizadas: comissao_de_saude.jpg

Apoio:

Páginas Personalizadas: cecane.jpg


Páginas Personalizadas: cepagro.jpg


Páginas Personalizadas: conab.jpg


Páginas Personalizadas: consea.jpg


Páginas Personalizadas: cit.jpg


Páginas Personalizadas: cut.jpg


Páginas Personalizadas: ecovida.jpg


Páginas Personalizadas: ma.jpg


Páginas Personalizadas: mda.jpg



Bem-vindo
Logo Simpósio

Apresentação

1º Simpósio de Segurança Alimentar e Nutricional:

caminhos para a alimentação saudável

Santa Catarina através da Comissão de Saúde da ALESC e demais parceiros Institucionais realiza no Dia Mundial da Alimentação, 16 de outubro de 2012, nas dependências do Palácio Barriga Verde, o 1º Simpósio de Segurança Alimentar e Nutricional, tendo como foco promover um amplo debate e a identificação de propostas/ações para a promoção da alimentação saudável, a partir do planejamento de estratégias de saúde e de segurança alimentar e nutricional.

A realização do Simpósio ocorre em um momento muito peculiar da sociedade brasileira, onde os índices do uso de agroquímicos e dos organismos geneticamente modificados na produção de alimentos são alarmantes e as crises cíclicas de abastecimento vinculadas aos conglomerados agroindustriais em detrimento das produções regionais/locais são frequentes. Em contrapartida, abrem-se possibilidades concretas de abastecimento de alimentos às estruturas públicas, além de uma demanda crescente da sociedade por alimentos de base ecológica nos mais diversos canais de comercialização.

Este evento resgata os debates promovidos no âmbito nacional, especialmente na IV Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e no World Nutrition Rio 2012, cujas discussões evidenciaram a problemática do atual padrão alimentar da população brasileira, caracterizado pelo consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar, sal e gorduras provenientes da indústria alimentícia, e pela ingestão insuficiente de frutas, legumes e verduras, ricos em fibras, vitaminas e minerais. Tal situação atinge todas as classes sociais refletindo desfavoravelmente no estado nutricional e, consequentemente, nas estatísticas das doenças crônicas não transmissíveis como obesidade, diabetes, hipertensão e outras.

Outro fator que interfere negativamente no consumo alimentar é o mercado publicitário de grande impacto. A obrigação do Estado é proteger a saúde da população e garantir informações precisas. Para isso, necessita-se de políticas públicas que desenvolvam medidas regulatórias que imponham limites para a propaganda de alimentos, que muitas vezes não informa sobre os malefícios do consumo excessivo de determinados alimentos. Ao contrário, a publicidade de alimentos dá uma ideia equivocada sobre a qualidade nutricional e vende alimentos ricos em açúcares e gorduras como se fossem saudáveis.

Coordenação Científica do Simpósio